Etnomatemática

O termo Etnomatemática foi criado por Ubiratan D’Ambrosio com o objetivo de descrever as práticas matemáticas de grupos culturais, a partir de uma análise das relações entre conhecimento matemático e contexto cultural. Foi mencionado pela primeira vez por seu criador, em 1976, no 3rd International Congress on Mathematics Education (ICME-3) realizado em Karlsruhe, na Alemanha.

Segundo D’Ambrosio (1997, p.111): “Para compor a palavra Etnomatemática utilizei as raízes tica, matema e etno para significar que há várias maneiras, técnicas, habilidades (tica) de explicar, de entender, de lidar e de conviver (matema) com distintos contextos naturais e socioeconômicos da realidade (etno)”.

Esse programa tem sua origem ou princípios pautados em diversos contextos culturais, procurando entender o fazer e o saber matemático, ou seja, procurar saber qual é o conhecimento Etnomatemático do grupo, investigando suas técnicas ou artes praticadas ou desenvolvidas, se expandindo a partir da dinâmica da evolução de fazeres e saberes que resultam da exposição mútua de culturas, podendo assim ser aproximada a uma teoria de cognição.

Referências

  • D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação matemática: da teoria à prática. 2. ed. Campinas: Papirus, 1997.